Bem vindo!

Tu que és um andarilho virtual na constante busca pelo conhecimento e diversão, celebre a vida conosco! Junte-se à nossa lareira, venha beber uma taça de vinho ou esfriar-se em uma grande caneca de cerveja, faça novos amigos ou solidifique velhas amizades.

"Sem comer e sem beber ninguém se cobre de glória" (provérbio viking).

sábado, 31 de dezembro de 2011

U2: New Year's Day

Para celebrar musicalmente a chegada do Ano Novo, selecionei um dos mais famosos hits da banda irlandesa U2, que por sinal e o meu preferido.

Em 1983, a música New Year's Day, tornar-se-ia um dos grandes sucessos do disco War, o terceiro álbum do quarteto de Dublin.

A obra é uma crítica à estagnação e ao mesmo tempo a promessa de dias melhores para aqueles não abandonam a esperança.

O inverno sueco em Sälen seria o cenário perfeito para a gravação do vídeo deste fabuloso single que mostrarei a seguir. Um feliz e próspero Ano Novo a todos, mas sem expectativas de guerras!

video

New Year's Day (U2)

Yeah...
All is quiet on New Year's Day.
A world in white gets underway.
I want to be with you, be with you night and day.
Nothing changes on New Year's Day.
On New Year's Day.

I... will be with you again.
I... will be with you again.

Under a blood-red sky
A crowd has gathered in black and white
Arms entwined, the chosen few
The newspaper says, says
Say it's true, it's true...
And we can break through
Though torn in two
We can be one.

I... I will begin again
I... I will begin again.

Oh, oh. Oh, oh. Oh, oh.
Oh, maybe the time is right.
Oh, maybe tonight.
I will be with you again.
I will be with you again.

And so we are told this is the golden age
And gold is the reason for the wars we wage
Though I want to be with you
Be with you night and day
Nothing changes
On New Year's Day
On New Year's Day
On New Year's Day

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Pretzel com Açúcar e Canela

Este famoso biscoitinho no formato de um nó aberto, tem sua história na confeitaria germânica traçada desde o século VII.

Em minha opinião os pretzels tem a cara do espírito natalino europeu, contudo, nossa tradição portuguesa sempre nos liga a tradicional rabanada, mas espero que esta receita venha fazer parte de sua mesa no dia 25 de dezembro.



Ingredientes
  • 03 xícaras e ½  (chá) de farinha de trigo (420 g) 
  • 01 xícara (chá) de cerveja (240 ml) 
  • 01 tablete de fermento biológico fresco (15 g) 
  • ½ xícara (chá) de manteiga sem sal (100 g) 
  • ½ xícara (chá) de açúcar refinado (90 g) 
  • 01 pitada de sal
  • 01 colher (chá) de canela em pó

Modo de Preparo
  1. Peneire a farinha de trigo na tigela da batedeira. Junte a cerveja, o fermento, a manteiga (reserve 2 colheres de sopa), o açúcar (reserve 2 colheres de sopa) e o sal. Bata por 4 minutos e transfira a massa para uma superfície enfarinhada. Sove por 15 minutos, ou até desgrudar das mãos, ficar macia, elástica e soltar bolhas. 
  2. Com a metade da manteiga reservada, unte uma tigela, coloque a massa e cubra a tigela com filme plástico. Deixe a massa crescer, em local aquecido, por 1 hora, ou até dobrar de volume. 
  3. Com o restante da manteiga, unte duas assadeiras grandes. Divida a massa em 12 partes e faça rolinhos de 60 cm de comprimento cada um, de pouco menos de 1 cm de espessura. Modele cada rolinho de massa dando a forma de um pretzel. Repita o procedimento com o restante da massa, dispondo os rolinhos prontos nas assadeiras.
  4. Em seguida, cubra as assadeiras com filme plástico e deixe a massa crescer, em local aquecido, por 30 minutos, ou até dobrar de volume. 
  5. Leve ao forno pré-aquecido em temperatura moderada (180ºC), por 25 minutos, ou até dourar a superfície da massa. Retire do forno, polvilhe o açúcar reservado e a canela em pó. Sirva em seguida.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Noite Feliz

Capela Stille Nacht em Oberndorf
A canção mais icônica do Natal nasceu na Áustria, em 1818. A história da composição teve inicio com uma invasão de ratos na Igreja de São Nicolau em Arnsdorf, na qual os hospedes indesejáveis, roeram os foles do único órgão sacerdotal ali presente.

Temeroso com a possibilidade de uma noite natalina sem louvores, um padre chamado Joseph Mohr tratou logo de sair em busca de um novo instrumento para substituir o antigo.

Durante a procura, a cabeça do pároco foi tomada por ideias iluminadas, que renderam na famosa letra "Noite Feliz" (Stille Nacht). Joseph anotou a sublime revelação e procurou o músico Franz Gruber para que a transfigurasse em melodia.

O título em português ficou um pouco diferente do original, contudo, em inglês, a tradução é exatamente igual: "Silent Night".

Noite Feliz (Joseph Mohr/Franz Gruber)

Noite feliz, noite feliz
Ó senhor, Deus de amor
Pobrezinho nasceu em Belém
Eis na lapa Jesus, nosso bem
Dorme em paz, ó Jesus
Dorme em paz, ó Jesus


Noite feliz, noite feliz
Ó Jesus, Deus da luz
Quão afável é teu coração
Que quiseste nascer nosso irmão
E a nós todos salvar
E a nós todos salvar


Noite feliz, noite feliz
Eis que no ar vem cantar
Aos pastores, seus anjos no céu
Anunciando a chegada de Deus
De Jesus salvador
De Jesus salvador

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Movie Playlist: Filmes Natalinos

Jesus: A História do Nascimento
Que tal começar o clima natalino combinando com amigos e familiares uma sessão de filmes temáticos? Selecionei 10 títulos que tentarão traduzir o espírito de Natal, seja numa agradável comédia ou em um drama bem produzido. Agora, se estiverem em dúvida na escolha, gostaria de recomendar "Jesus: A História do Nascimento", "Um Homem de Família" e "Feliz Natal".

10 FILMES PARA CELEBRAR O NATAL
(MOVIE PLAYLIST)

1. Jesus: A História do Nascimento (The Nativity Story) - 2006
2. Feliz Natal (Joyeux Noël) - 2005
3. Simplesmente Amor (Love Actually) - 2003
4. Um Homem de Família (The Family Man) - 2000 
5. Kramer vs. Kramer (Kramer vs. Kramer) - 1978 
6. Um Herói de Brinquedo (Jingle All The Way) - 1996 
7. Férias Frustradas de Natal (Christmas Vacation) - 1989
8. Esqueceram de Mim (Home Alone) - 1990
9. Anjo de Vidro (Noel) - 2004
10. O Expresso Polar (The Polar Express) - 2004

    quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

    Ferdi Rizkiyanto: What Lies Under

    Gostaria de compartilhar com todos da Taverna do Peregrino, uma obra do artista digital Ferdi Rizkiyanto, mais que uma inspiração, a genialidade por trás da reflexão.

    terça-feira, 13 de dezembro de 2011

    Citrus Mulled Wine

    Da mesma forma que os brasileiros apreciam um bom vinho quente em noites frias, que infelizmente não coincidem com a estação climática do nosso Natal, os americanos se deleitam com uma tradição das festas natalinas, o Citrus Mulled Wine

    Trata-se de uma versão mais cultuada, oriunda do antigo Mulled Wine.



    Rendimento: 07 porções ou 06 pessoas (bebendo moderadamente)

    Ingredientes
    • 01 copo de água mineral (250 ml)
    • 2/3 copo de açúcar refinado
    • 01 colher (chá) de cravo-da-índia
    • 01 colher (café) de noz-moscada
    • 08 paus de canela
    • 01 laranja em fatias
    • 01 limão em fatias
    • 02 garrafas de vinho tinto seco (com 750 ml cada)

    Modo de Preparo
    1. Em uma panela pequena, combine a água, o açúcar, o cravo-da-índia, a noz-moscada, um pau de canela, as fatias de limão e laranja. Cozinhe em fogo médio até o açúcar dissolver por completo.
    2. Reduza o fogo e cozinhe por mais 10 minutos. Coe os ingredientes sólidos e deixe esfriar.
    3. Em uma panela grande, misture a calda de açúcar aromatizada com o vinho e deixe aquecer em fogo médio.
    4. Distribua o Citrus Mulled Wine em sete canecas com os paus de canela remanescentes.

    segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

    Emmental

    A história do Emmental (também grafado Emmentaler ou Emmenthal) remonta a Suíça de 1293, e seu nome originou-se na região às margens do rio Emme, contudo, foi mencionado pela primeira vez apenas em 1542.

    Trata-se de um queijo semiduro de cor amarelada, preparado com leite de vaca não pasteurizado, com sabor frutado e aroma doce remetendo a feno recém-ceifado, resultante da alimentação bovina nos pastos alpinos durante o inverno.

    Uma roda de queijo Emmental pode chegar a pesar 160 kg, com buracos que vão do diâmetro de uma avelã a uma bola de golfe.

    A viscosidade e as demais características supracitadas fazem do Emmental, o preferido por cozinheiros suíços e franceses, seja no preparo de um simples suflê ou na elaboração de uma tradicional fondue de queijo.

    Além do uso culinário, o Emmental é um queijo essencial para qualquer tábua de frios em que se priorize o requinte.

    sábado, 10 de dezembro de 2011

    Dresdner Christstollen

    A Rosca Natalina de Dresden (Dresdner Christstollen) é uma das maravilhas da confeitaria germânica, uma mistura de bolo em forma de pão, muito consumida durante o mês de celebração do nascimento de Jesus Cristo.

    Se para os italianos o Panettone representa uma tradição gastronômica no Natal, a Dresdner Christstollen segue a mesma importância para os alemães.

    Posso garantir que esta delícia do final da Idade Média é irresistível, eu mesmo quando estava na Alemanha tinha que buscar autocontrole para não comprar uma por dia. No Brasil, cheguei a prepará-la umas quatro vezes, e resolvi compartilhar com todos da Taverna do Peregrino a minha receita.

    Ingredientes
    • 40 g de fermento para pão (cerca de 3 tabletes)
    • 03 colheres (sopa) de açúcar refinado (36 g)
    • 01 xícara (chá) de leite morno (240 ml)
    • 500 g de farinha de trigo
    • 200 g de manteiga sem sal
    • ¾ xícara (chá) de amêndoas cortadas em tiras
    • ½ xícara (chá) de frutas cristalizadas picadas
    • 04 colheres (sopa) de manteiga sem sal (60 g)
    • 03 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro (para polvilhar)

    Modo de Preparo
    1. Em uma tigela grande, esfarele o fermento e misture-o com 2 colheres (sopa) de açúcar refinado, junte o leite morno e deixe descansar durante cerca de 15 minutos.
    2. Acrescente a farinha de trigo, o açúcar refinado restante e a manteiga, enquanto vai misturando a massa de dentro para fora, até fazer bolhas e soltar da tigela. Deixe descansar com a tigela tampada por um pano seco, em um local quente, durante 20 minutos.
    3. Adicione as amêndoas e as frutas cristalizadas. Amasse mais uma vez e enrole formando um pão grosso. Coloque sobre um tabuleiro sem untar e deixe descansar por mais 20 minutos.
    4. Derreta a manteiga e use a metade para pincelar o pão. Asse em forno moderado (180ºC), por aproximadamente 60 minutos.
    5. Depois de assado, enquanto o pão estiver ainda quente, pincele-o com o resto da manteiga e polvilhe com o açúcar de confeiteiro.
    Dica 

    Tome cuidado com a quantidade de fermento. A regra geral (de 20 g de fermento para 500 g de farinha de trigo) não vale para esta receita, já que contém ingredientes muito pesados.

    sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

    São Francisco de Assis: Do Presépio a Missa do Galo

    Cristãos ou não cristãos, sabem que São Francisco de Assis é o padroeiro dos animais, contudo, seus feitos para o cristianismo vão muito além desta qualificação, já que ele foi o criador da tradicional Missa do Galo, um ato religioso realizado na madrugada do dia 25 de dezembro, o Dia do Natal.

    A história também diz que o santo foi o idealizador por trás do primeiro presépio, construído com o objetivo de trazer à memória dos fiéis, o rústico ambiente em que Jesus nascera.

    Tanto o rito como o símbolo, começou na cidade italiana de Greccio, em 25 de dezembro de 1224.

    No badalar do sino à meia noite, o conceituado frade católico exibiu sua representação da sagrada manjedoura, seguido por uma missa que completou a solenidade.

    Como os galos cantavam habitualmente às primeiras horas da madrugada, o povo deu a essa celebração o nome de Missa do Galo.

    Particularmente, considero o presépio como o mais belo ícone do cristianismo, algo que realmente representa a esperança num mundo de desordem e egoísmo.

    E saber que o legado de São Francisco de Assis gerou até uma versão em brinquedo do velho presépio, o Playmobil Christmas. Apesar de ser exclusivamente criado para fomentar o comércio, pelo menos as crianças aprendem algo construtivo.

    quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

    The Moody Blues: Talking Out Of Turn

    Desde 1965, os veteranos do The Moody Blues, revelaram sem esforço algum o motivo de estarem tanto tempo na estrada, mesmo apesar de uma dissolução ocorrida em meados da década de 1970.

    A banda de rock britânica foi uma das precursoras do movimento progressivo, diferenciada pela calmaria de seus arranjos orquestrais bem ensaiados.

    Os Moodies voltaram a se reunir em 1981, para promover o lançamento de seu magnífico álbum "Long Distance Voyager", responsável por abrigar o icástico hit "Talking Out Of Turn". O vídeo foi extraído do DVD "Lovely To See You: Live" de 2005, um show gravado na Grécia, imprescindível para qualquer amante da boa música.

    video

    Talking Out Of Turn (John Lodge/The Moody Blues)

    When I took a little loving from you
    Oh I, never thought about the hurting inside
    But I took a little more than I should
    Oh why, can't explain that I would ever
    Let you slip through my fingers
    Let you escape like yesterday
    I would appreciate you knowing
    I thought you love had come to stay

    CHORUS
    Talking out of turn
    Shot to pieces
    When will I learn
    Talking out of turn
    Shot to pieces
    When will I learn

    But I took a little more of you each day
    When I didn't see that I was breaking you apart
    With angry words of love I didn't mean
    Oh why, can't believe that I would ever
    Talk myself out of tomorrow
    Talked like a fool to yesterday
    And as the evening loses colour
    Your love began to fade away

    CHORUS
    Talking out of turn
    Talking out of turn
    If I upset you
    I didn't mean to hurt you
    I didn't mean to make you cry
    I don't need an alibi

    To start me talking out of turn
    When I took a little loving from you
    Oh I, can't believe that I would ever
    Let you slip through my fingers
    Let you escape like yesterday
    I would appreciate you knowing
    I thought your love had come to stay

    CHORUS

    quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

    Playlist: Rock Xmas

    Se até hoje sua canção natalina mais radical foi "Jingle Bell Rock" cantada por Bobby Helms é porque você não conhece certas preciosidades esquecidas debaixo da árvore da Taverna do Peregrino. Claro que devemos celebrar o nascimento de Jesus Cristo com todo o respeito, mas como nosso Pai Celestial nos presenteou com instrumentos musicais amplificados, façamos das velhas cantigas monofônicas, uma festa roqueira para comemorar a vinda do Salvador. Lancei a playlist no dia 07 de dezembro para você ir atrás das músicas com calma, então, mãos a obra e bons preparativos.

    20 CANÇÕES NATALINAS DO ROCK (PLAYLIST ROCK CHRISTMAS)
    1. Jethro Tull - Birthday Card At Christmas
    2. The Moody Blues - The Quiet of Christmas Morning (Bach 147)
    3 Bob Dylan - Do You Hear What I Hear?
    4. Eddie Van Halen feat. Steve Lukather  - Joy to the World
    5. Jimi Hendrix - Medley: The Little Drummer Boy/ Silent Night/ Auld Lang Syne
    6. U2 - Christmas (Baby Please Come Home)
    7. Paul Di'Anno - Silent Night (Rocks)
    8. The Ramones - Merry Christmas (I Don’t Want To Fight Tonight)
    9. Lynyrd Skynyrd - Hallelujah! It’s Christmas
    10. Red Hot Chili Peppers - Deck the Halls
    11. Peter Cetera - You Just Gotta Love Christmas12. Eagles - Please Come Home for Christmas
    13. Billy Idol - Jingle Bell Rock
    14. Steve Vai  feat. Steve Lukather - Carol of the Bells
    15. Reo Speedwagon - The First Noel
    16. Smashing Pumpkins - Christmastime
    17. Alice Cooper - Santa Claus is Coming to Town
    18. Blink 182 - I Won’t be Home for Christmas
    19. Queen - Thank God It's Christmas
    20. John Lennon - Happy Xmas (War is Over)

      terça-feira, 6 de dezembro de 2011

      O Amor Sem Frutopia

      ...e sem a ilusão das metades da laranja!

      domingo, 4 de dezembro de 2011

      Richmond Park

      Richmond Park é merecedor do título de maior parque real do Reino Unido, quase três vezes o tamanho do Central Park nos EUA (totalizando 955 hectares).

      Sua criação remonta a 1637, data em que Carlos I (Charles I) construiu uma muralha com 13 km de extensão, buscando definir uma área de caça para a realeza.

      Ainda bem que a barbárie teve fim, pois, hoje, vemos uma reserva nacional preservada, onde animais silvestres convivem com os milhares de visitantes que passeiam no parque nos finais de semana.

      Isabella Plantation
      Entre as belíssimas atrações do Richmond Park, o destaque fica por conta de seu harmonioso ecossistema, composto por cervos, cisnes, esquilos, patos, besouros, bétulas, castanheiros e carvalhos seculares, um cenário ideal para aquele piquenique em família.

      Cisne em Richmond Park (foto de Alex Saberi pela National Geographic)
      Quando a primavera anuncia seu fim, um jardim botânico criado em 1953, Isabella Plantation, torna-se a principal atração do parque, revelando um espetáculo de cores, formado em grande parte por azaleias, magnólias, camélias e narcisos.

      Patos canadenses e a bela vista de Isabelle Plantation
      E se você é um turista menos contemplativo, arrisque-se numa partida de futebol ou jogue críquete com os amigos nos campos verdejantes de Richmond Park. Para maiores informações, acesse o endereço virtual www.royalparks.gov.uk.

      Outono em Richmond Park

      sábado, 3 de dezembro de 2011

      Banana Colada

      A Colada de Banana (ou Banana Colada) é uma vertente da pitoresca Piña Colada, coquetéis que fazem parte da tradição gastronômica das ilhas caribenhas.

      Se você procura um drink com jeito de tropical, a Banana Colada é um dos melhores, com aroma que remete a calor, praia, e obviamente a férias!

      Em terras de cana-de-açúcar, o rum reina soberano, mas nem todos são iguais. O rum de Barbados é diferente do rum de Cuba, bem como o rum de Martinica difere em sabor se comparado ao rum do Haiti.






      Rendimento: 01 pessoa

      Ingredientes

      • ½ banana prata, madura
      • ¼ de xícara (chá) de rum claro ou escuro (60 ml)
      • 02 colheres (sopa) de creme de coco ou Malibu (30 ml)
      • 01 xícara (chá) de gelo moído
      Acessórios
      • 01 coqueteleira
      • 01 shaker ou mixer manual 
      • 01 taça ou copo long drink

      Modo de Preparo
      1. Disponha numa coqueteleira, metade do gelo triturado, a banana e o creme de coco (ou Malibu), bata tudo com o shaker até obter um composto homogêneo.
      2. Adicione o rum, feche a coqueteleira e misture rapidamente.
      3. Despeje a Banana Colada no interior de uma taça ou copo long drink com o restante do gelo triturado.

      sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

      Yes, nós temos bananas!

      A portuguesa Carmen Miranda foi de longe a maior embaixatriz da tropicalização hollywoodiana das décadas de 1930, 1940 e 1950, seja pela icônica intepretação de Chiquita Banana, ou pela nostalgia de filmes como "Banana da Terra", “Entre a Loura e a Morena” (The Gang’s All Here) e Bananas is my Business (documentário de 1994). Tais trabalhos alcunhariam o Brasil como a verdadeira República das Bananas.

      Mas será que tal conceito é uma visão puramente pragmática dos gringos? De qualquer forma, não podemos negar que a banana é a fruta mais popular do Brasil, uma estrela que não perdeu seu brilho em nossa gastronomia tupiniquim, seja consumida “in natura”, preparada como farofa, quitute ou sobremesa, ou quem sabe empanada para acompanhar uma tradicional feijoada ou churrascada.

      Chiquita Banana (Carmen Miranda)

      I'm Chiquita banana and I've come to say
      Bananas have to ripen in a certain way
      When they are fleck'd with brown and have a golden hue
      Bananas taste the best and are best for you
      You can put them in a salad
      You can put them in a pie-aye
      Any way you want to eat them
      It's impossible to beat them
      But, bananas like the climate of the very, very tropical equator
      So you should never put bananas in the refrigerator

      Informações nutricionais revelam que 100 gramas de banana são compostas por 65% de água, 1,3 g de proteínas, 0,4 g de gordura, 32 g de carboidratos e 2,3 g de fibra. A banana também é rica em potássio e uma ótima fonte de vitamina C, vitamina B e magnésio.

      E por falar em gringos, estes, morriam de medo do Brasil “dar uma banana” na dívida com FMI (Fundo Monetário Internacional), uma expressão que significava deixar de cumprir um acordo ou quitar uma dívida: “Devo não nego, pago quando puder”.

      Louvemos a Deus por essa abençoada terra das bananas, afinal, ela ocupa apenas 0,87% do total das despesas com alimentação neste País, não é atoa que o adágio “a preço de banana” venha fazer alusão a algo bem barato. Yes, we have bananas!
      Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...